Corpo Memória Desperdício

Corpo Memória Desperdício

Corpo Memória Desperdício é uma instalação interativa, um teatro de objetos onde fluem micronarrativas que o usuário tem que descobrir para criar as suas próprias histórias, entre um caos de objetos, cabos, palavras – os seus neurónios? – e mapas.

Este projeto foi desenvolvido no Laboratório de Instalações Multimédia Interativas (LIMI) e surge de uma parceria estabelecida entre a Quarta Parede e o Departamento de Comunicação e Artes da UBI, com o intento de criar uma equipa interdisciplinar que envolva os estudantes do Mestrado em Design Multimédia com artistas e profissionais do design, das artes de palco, da informática e da eletrónica. Do confluir de todas estas áreas emerge a magia da interatividade: as imagens e os sons despoletados por sensores que controlam os corpos, os desperdícios e, talvez, a nossa memória.

O desenvolvimento da instalação parte de uma reflexão sobre o Corpo e o Objeto, mais especificamente, sobre as relações – as cartografias – que o indivíduo estabelece com os objetos e a forma como estas se traduzem em Desperdício e Memória.

Configuração do sistema e das interfaces

Um dos objetivos deste projeto é a investigação e implementação de ambientes de programação e interfaces físicas de baixo custo para a criação de instalações/ambientes interativos multiuser. Portanto, no desenvolvimento desta instalação utilizamos Pure Data (PD), um ambiente de programação visual livre que permite o processamento de dados multimédia em tempo real; conjuntamente com Arduino, uma placa de controle I/O, que permite a comunicação entre o físico e o digital, e diversos tipos de sensores (elementos que recebem e respondem a um estímulo, convertendo um tipo de energia em outro) criados por nós. O PD gere o input dos sensores, conectados a Arduinos, e o output visual e sonoro da instalação.

Os sensores estão incorporados em objetos presentes na instalação. De forma a tornar clara e acessível o tipo de interação que o usuário pode estabelecer, os objetos com sensores incorporados estão munidos de uma sinalética.

 

Conceção Agueda Simó, Rui Sena, Sílvia Pinto Ferreira | Desenvolvimento da Instalação Agueda Simó, Sílvia Pinto Ferreira,  1º Ano De Mestrado Multimédia: Bruno Catarino, Catarina Neves, Cátia Saldanha, Filipa Serpa, Filipa Velho, João Pereira, João Proença, Marcelo Teixeira, Marta Ferras, Miguel Estevinha, Nuno Rodrigues, Paulo Fonseca, Ricardo Ramos, Wilson Pinto | Conceção e desenvolvimento de interfaces físicas Agueda Simó, Nuno Sousa, Sílvia Pinto Ferreira | Desenvolvimento de Sensores Nuno Sousa | Programação Multimédia Enrique Hurtado, Rui Brás Vídeo João Grancho, Sílvia Pinto Ferreira | Concepção de Cartaz Joana Marques e Octávio Mourão | Produção Executiva Celina Gonçalves | Coprodução Quarta Parede e Mestrado Design Multimédia da Universidade da Beira Interior | Apoio Teatro Das Beiras | Agradecimentos Rui Garcia, Administração do Centro Hospitalar da Cova da Beira, Supermercado Canário, Adc – Águas da Covilhã EM, Gráfica da Covilhã, Reciascensão – Reciclagem De Sucatas Lda.

 

Instalação Multimédia Interativa

Apresentação 25.fevereiro.2009 / Café-Concerto Teatro das Beiras (Covilhã)

Anterior Próximo
Topo Arrasta Ver